Psiquiatria

Porque é tão importante tratarmos transtornos mentais desde a infância?

Transtornos mentais são disfunções no funcionamento da mente, que podem afetar qualquer pessoa em qualquer idade e, geralmente estão associados a alterações complexas do sistema nervoso central.  Eles são influenciados por todas as experiências que temos em nossas vidas: múltiplas variantes genéticas, fatores psicológicos individuais, vulnerabilidade ou fatores sociais e fatores ambientais (traumas e experiências de criação) que podem desencadear disfunções cerebrais complexas que vão frequentemente estão associadas aos transtornos mentais. Em resumo, os transtornos mentais têm uma gênese biopsicossocial

Transtornos mentais são muito mais freqüentes do que se imagina.  São em geral caracterizados por uma combinação de pensamentos, percepções, emoções, comportamentos anormais que estão associados a prejuízos sociais, ocupacionais e nas relações com as outras pessoas. Os transtornos mentais passaram a ter uma importância maior quando nós comparamos o que eles retiram da vida útil das pessoas na comunidade com as outras doenças como câncer ou doenças cardiovasculares. Cerca de 20% de tudo que é perdido em vida saudável corresponde aos transtornos psiquiátricos, como depressão, ansiedade, esquizofrenia e dependência ao álcool e outras drogas.

Se considerarmos o período da infância e adolescência, podemos identificar que grande parte dos transtornos se iniciam nessa fase. Sabe-se que esse é um período particularmente importante em termos de prevenção e tratamento pois, quadros detectados/diagnosticados e tratados precocemente, podem estar associados a menor incidência de sofrimento, prejuízos ou mesmo transtornos mentais na vida adulta

 

Como prevenir transtornos mentais?

 

Existem diretrizes universais para reduzir as chances de incidência de transtornos mentais

  • Dificultar ao máximo o consumo de álcool e o tabagismo;

  • Não usar drogas;

  • Ter atenção especial com crianças com histórico de transtornos mentais na família.

Via de regra, quando existir algum comportamento que causa prejuízo de médio e longo prazo à criança ou adolescente, é importante que um psiquiatra especializado em infância e adolescência (Psiquiatra Infantil) seja procurado.

Quem é o Psiquiatra Infantil?

Um psiquiatra da infância e adolescência, após fazer 6 anos de medicina, faz uma residência (especialização) em Psiquiatria Geral que atualmente dura 3 anos, e depois faz uma segunda especialização em Psiquiatria da Infância e Adolescência (2 anos em média) para poder atuar.

Qual é a função do Psiquiatra Infantil?

A Psiquiatria Infantil é uma especialidade da medicina que busca diagnosticar e tratar problemas de saúde mental das crianças, além obviamente de atuar na prevenção de problemas mentais nessa faixa etária. 

A função do Psiquiatra Infantil é compreender, principalmente, o desenvolvimento normal de uma criança com todas as suas fases, desde a concepção, passando pelo parto, marcos do desenvolvimento, fases do desenvolvimento, escolaridade, cognição.

Para que isso aconteça, primeiro é preciso que os responsáveis pela criança deixem de lado seus próprios preconceitos, possibilitando que a criança tenha a oportunidade de ter uma vida mais feliz e saudável.

Assim como no atendimento psiquiátrico de adultos e idosos, o psiquiatra especializado em crianças e adolescentes também deve conquistar a confiança desses jovens pacientes e seus pais. 

A maior diferença, talvez, seja o apoio dos pais no tratamento. Eles devem observar determinados comportamentos que podem facilitar o diagnóstico, fazendo com que ele seja mais preciso e eficaz.

Como funciona a abordagem do Psiquiatra Infantil? 

As primeiras sessões do Psiquiatra Infantil são feitas com os pais ou responsáveis pela criança. Essas sessões serão como entrevistas e têm o objetivo de reunir informações sobre os comportamentos do paciente e conhecer melhor a dinâmica onde a criança está inserida.


As sessões seguintes serão realizadas apenas com a criança, para que o Psiquiatra Infantil possa observá-la em um ambiente livre de pressão e julgamentos, fazendo com que ela consiga expressar suas emoções e sentimentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual é a diferença do tratamento em adultos?

Sabemos que as crianças possuem maior dificuldade de verbalizar os seus sentimentos. Por conta disso, o Psiquiatra Infantil pode se apoderar de técnicas da psicopedagogia como a utilização de desenhos, massinhas, joguinhos, etc., para ajudar a criança a expressar seus sentimentos de uma forma confortável e que para ela seja natural.


Durante todo o tratamento, ocorrerão sessões periódicas com os pais, reforçando a importância da participação ativa. Além disso, manter a comunicação com a escola também é imprescindível, sendo necessário criar uma parceria em prol do tratamento.

Faça o agendamento online. É fácil, rápido e seguro.

TODOS  OS DIREITOS RESERVADOS A DR. DANIEL FILHO.