Buscar
  • danieldesousafilho

Depressão Pós-Parto

Qualquer episódio depressivo que ocorra nos meses que se seguem ao nascimento do bebê, havendo estudos que consideram dois meses, três meses, seis meses, e até um ano. Geralmente, o quadro inicia-se entre duas semanas até três meses após o parto ocorre: –humor deprimido, –perda de prazer e interesse nas atividades, –alteração de peso e/ou apetite, –alteração de sono, –agitação ou retardo psicomotor, –sensação de fadiga, –Sentimento de inutilidade ou culpa, –dificuldade para concentrar-se ou tomar decisões – pensamentos de morte ou suicídio. No quadro clínico da depressão nessa época da vida são observadas algumas peculiaridades, dentre elas: –A alta probabilidade de comorbidade com sintomas ansiosos e obsessivo-compulsivos; –A menor incidência de suicídio; –A resposta terapêutica mais demorada requerendo mais de uma medicação; –As mulheres com DPP têm mais chance de apresentar episódios depressivos posteriormente e principalmente novos episódios de DPP. A prevalência da DPP varia entre 10% e 20%; essa taxa pode variar dependendo da cultura, do período e do método utilizado no diagnóstico. Dez estudos estimaram a prevalência da DPP no Brasil: •Foram encontradas taxas de 7,2% a 43%. Essa grande variação, provavelmente, deve-se a fatores culturais e aos instrumentos utilizados para o diagnóstico.

Fatores de risco para depressão pós parto •História pessoal de depressão; •Episódio depressivo ou ansioso na gestação; •Eventos de vida estressantes; •Pouco suporte social e financeiro; •Relacionamento conjugal conflituoso; Outros prováveis fatores de risco são: •História familiar de transtornos psiquiátricos; •Episódio de maternity blues, •Características de personalidade, •Padrões de cognição negativos Na presença de um quadro sugestivo de depressão pós parto o seu psiquiatra deve ser consultado!


Blues puerperal


“Blues Puerperal” é também conhecido como aquela tristeza da mãe logo após o nascimento do bebê.


Algumas informações úteis sobre o Blues Puerperal:


- É considerada a forma mais leve dos quadros Puerperais;

- Pode ser identificada em 50% a 85% das puérperas, dependendo dos critérios diagnósticos utilizados;

- Os sintomas geralmente se iniciam nos primeiros dias após o nascimento do bebê;

- Atingem um pico no quarto ou quinto dia do pós-parto;

- Remitem de forma espontânea em no máximo duas semanas


Principais sintomas do blues puerperal


- Choro fácil;

- labilidade afetiva;

- Irritabilidade;

- Comportamento hostil para com familiares e acompanhantes;

- Algumas mulheres podem apresentar sentimentos de estranheza e despersonalização e outras podem apresentar relação.

Abordagem:

- Mulheres com disforia pós-parto não necessitam de intervenção farmacológica;

- Manter suporte emocional adequado, compreensão e auxílio nos cuidados com o bebê;

- Orientação ao pai.


Caso essa situação persista é muito importante procurar ajuda médica!

6 visualizações

TODOS  OS DIREITOS RESERVADOS A DR. DANIEL FILHO.